Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vamos lá viajar

uma lua de mel do outro mundo

Vamos lá viajar

uma lua de mel do outro mundo

09
Out15

E lá voaram os Piriquitos!

Piriquitos

O acordar vai ficando cada vez mais alinhado com este lado do mundo e hoje é o último dia no hotel por isso tencionamos aproveitar cada minuto a 120%! Hoje avizinha-se um dia limpinho de nuvens e vento, mas o frio apareceu em força e devem estar uns 7 ou 13 graus. O caminho até aos ovos com bacon foi um bocado mais custoso!
Para hoje temos marcado ir buscar a caravana, saltar no Highest Canyon Swing in the World e seguir viagem para sul para a zona dos fiordes.
Pois então fazemos a última vistoria ao quarto e seguimos para o checkout na recepção. Eles dizem-nos que podem dar-nos boleia até ao stand da Maui Motorhomes. À chegada a senhora recebe-nos com uma simpatia já típica neozelandesa ( mas com um tom e uma forma de falar que apetecia dar estalos em modo combo do street fighter), e diz-nos que estávamos marcados para o dia anterior (!!! Ups), mas sem problema. Levámos uma ensaboadela de regras de segurança, protocolos e informações várias e depois um senhor vem connosco explicar a parte prática da caravana (águas, electricidade, esgotos, camas, mesas, etc,etc). Acabou a lição e lá vamos nós, chave na ignição, travão de mão desengatado e em frente...ups... sempre pela esquerda!!! SEMPRE PELA ESQUERDA!

Muito obrigado a quem participou para este presente!!!! :) 

image.jpg

image.jpg 

Agora vamos lá atirar-nos de um precipício a 350m de altitude com uma queda livre de 60mts é um Swing de 200mts. Chegamos à lojinha e eles dizem-nos que ainda temos 45minutos (alguém está ansioso claramente). Chega a hora e tiram-nos os pesos, os dados pessoais e fazemos um caminho de 20 minutos até ao local (a parte da chegada é por uma estrada que devia ser uma actividade só por si).
O sítio é "lindo de morrer" com grandes montanhas todas rasgadas de encostas num misto de verde e pedra com um riacho no fundo.. Parece um filme! A zona de salto é uma barraca de madeira e parafusos pequeninos. Os gajos que fazem toda a preparação têm um discurso afinado para que tu não vás para ali tranquilo ("im an honest Travel guide, and i must say that this is not safe", "we have a success rate of 51%, dont worry", "i tried to jump once and then i realized the equipment was shit and everything was still under construction, so i never did it again") :O !!!
Decidimos saltar os dois juntos de frente, puseram-nos os arneses e fomos dos últimos a saltar. Quando chegou a nossa vez perguntaram se portugal não era uma ilha em África e puseram a música do Madagascar "move it". "On go you must take a step forward together and jump" diz o homem enquanto olhamos para o precipício e nos pomos com os dedos do pé na pontinha. 3, 2, 1, MOVE IT! E lá voaram os piriquitos para uma queda espectacular de alguns segundos... Uma sensação única de medo, ansiedade e felicidade! Que loucura!!!! (Depois partilhamos o vídeo)

A quem quis participar no nosso vôo de baptismo, muito obrigado!!!!! :)

image.jpg 

Eram 15h e tínhamos que começar a viagem para Manapouri, o ponto de saída para o passeio do Doubtfull Sound. Fomos buscar um granda burrito a uma tasca mexicana chamada Caribe (aconselhamos vivamente) e partimos na nossa caravana do amor!

image.jpg

image.jpg

O Diogo não só guiou a caravana durante 2 horas e tal como estacionou num parque de um supermercado num lugar para carros normais. Ficámos um bocadinho com o rabiosque de fora.......

image.jpg

image.jpg

Depois de abastecer a caravana de alimentos, seguimos pela estrada que não há palavras para descrever. A primeira hora é feita de curvas e contra-curvas ao longo dos Lagos com montanhas dos dois lados. Mete a marginal num chinelo! Imaginem uma costa mediterrânea que se cruzou com as montanhas austríacas e tiveram um filho que encheram de esteróides... É este o nível da coisa!
Depois a segunda hora de viagem é planícies e planaltos pintados de verde e castanho com 20 ovelhas por m2. (Ahhhh, então é por isso que as UGG são a 70€!!) Infelizmente as fotografias ficaram na máquina por isso só depois é que podemos mostrar!

Chegámos ao Possum Lodge, Manapouri, e temos um lugar espetacular para a nossa caravana. Parqueamos o bicho e vamos ver os arredores. Não é que a 20 passos de distância está um lago de onde parte o barco para os fiordes! O cenário é mais uma vez lindo de morrer e nós agradecemos este karma espetacular :)

image.jpg

image.jpg

image.jpg 

Acabámos o dia a fazer a nossa cama na caravana e a arrumar as coisas nos poucos armários que existem.

Este foi o dia mais preenchido até agora!

08
Out15

À descoberta de Queenstown

Piriquitos

Acordámos às 6 da manhã, todos jetlaggados!
Tomámos o pequeno almoço no Hotel, como quem diz um pratão de ovos mexidos, bacon, cogumelos, tomate assado, torradinhas e salsichas, seguido de um prato de fruta e doces. Mesmo bom!

image.jpg

image.jpg

 A nossa vista na mesa era um campo de golf rodeado de montanhas, algumas ainda com neve no cume, outras com vários tons de verde, tipo os outfits do Diogo há 4 anos atrás. :P


Depois do pequeno almoço de campeões apanhámos um transfer para o centro de Queenstown, a cidade mundialmente conhecida pelos desportos radicais. A ideia era passear pela cidade e ver quais actividades podíamos fazer! Fomos fazer um plano do dia para a "praia" de Queenstown.

image.jpg

image.jpg 

Decidimos subir de "gondola" aka teleférico até ao topo de uma montanha mesmo junto à cidade e ver uma vista de cortar a respiração. O centro da cidade é virado para uma baia do Lago (não nos lembramos do nome agora) e dá para ver duas mini penínsulas que entram pela água a dentro. É um quadro autêntico que torna a cidade (meio acinzentada) uma obra de arte natural. 

image.jpg

 

 

 

image.jpg

Também de cortar a respiração foi a corrida de carrinhos de rolamentos que fizemos a descer parte da montanha. Chama-se Luge e tem uma pista azul e uma vermelha, cheias de curvas e contra-curvas, túneis e lombas. Fizemos 2 azuis e 1 vermelha com uns capacetes todos estilosos!! (Ana: Só estou com um capacete azul porque o vermelho só havia XS!)

Acabada a brincadeira dos carrinhos, descemos novamente a montanha e fomos marcar para a tarde um barco que tinha 820 cavalos e andava pelos braços do lago, a fundooooo!!!!
Depois fomos almoçar ao FERG Burguer, o restaurante mais famoso da cidade.. Era um hambúrguer tipo pizza, tinha tanto de grande como de enjoativo. Nenhum de nós conseguiu terminar. Fica a fotografia que comprova o tamanho dos bichos!

image.jpg

O tempo começou a mudar e caiu uma mega carga de água que nos impossibilitou de andar no bote de 820 cavalos! Um misto de alívio com tristeza! Pode ser que ainda consigamos lá voltar :)

Chegámos a casa e apagamos completamente. O que eram 10 minutinhos de olhos fechados, viraram 3 horas a roncar! O relógio interno da Ana nunca falha portanto sem despertador acordou em cheio as 20.35h.. Já estávamos 5 minutos atrasados para um jantar fancy que tínhamos marcado no restaurante fine dinning do hotel. Vestimos o nosso melhor kit (e único) e fomos completamente zombies comer comida gourmet!

Mãe da Ana atenção às fotos!

image.jpg

image.jpg

image.jpg

 

Entretanto chegámos ao quarto e a madrinha Mary S tinha lá "deixado" uma garrafa de champanhe para celebrarmos o love como deve ser!!! Mil obrigados madrinha querida!!!!!!

image.jpg

 

With loaaaaadsss of love,

Piriquitos

 

 

06
Out15

Bom dia, ou boa tarde, ou boa noite, Nova Zelândia

Piriquitos

Kuala Lampur para Melbourne foram 7 horas de avião em que já estávamos mesmo a dar as últimas. Noção horária era mentira. Seria ainda segunda ou já era terça? Era hora de tomar o pequeno almoço ou de jantar? É que não nos lembramos de ver dia desde que saímos de Lisboa! Sempre que aterrávamos era de noite!

A Ana estava verde e o Diogo roxo, literalmente roxo! As pernas dele tinham inchado e as meias estavam a fazer uma pressão tal que estava mesmo roxo! A Ana, como boa mulher, deu-lhe umas valentes massagens e a coisa mudou um bocadinho de cor :P

Chegados ao Aeroporto de Melbourne fomos comer uma pizza e tentar dormir... Íamos ficar ali presos as próximas 8 horas e eram 3 da manhã (estão a ver? é sempre de noite!).
Escolhemos o melhor spot, o Aeroporto não tinha viva alma, e deitamo-nos pela primeira vez na horizontal em 30 horas... Quem agradeceu foram as nossas pernas e os nossos pés! (Será que se considera noite de núpcias?!)
Dormimos cerca de 3 horinhas e acordamos eram 7 da manhã, o voo era às 10h. A Ana enquanto esperava que a Vitória Secret abrisse portas para a felicidade, achou que era normalissimo comer um hambúrguer chicken do Bruguer King (aka Hungry Jacks na Austrália). O Diogo foi mais conservador e optou por uma omelete no restaurante chinês.
Bom, comidas à parte, lá abriram as lojas, a Ana lá repôs o stock na VS, e depois de darmos 2 voltas ao Aeroporto encontrámos UGG a 70€!! Um escândalo de preço, quem quiser encomendas avise!

Lá apanhámos o avião para a Nova Zelândia, com os olhos postos numa cama King Size e o coração preso naquelas UGG a 70€!
Foram 2.30h, parece impossível que existam viagens que durem menos de 7 horas! Mas se acham que entramos no avião sem qualquer problema, desenganem-se! Não tínhamos imprimido o bilhete de regresso para Lisboa então não nos deixavam embarcar para lá sem essa garantia que voltávamos para casa! Agora a coisa complicou-se, faltavam 20 minutos para o avião descolar e a Ana não tinha os bilhetes em anexo no e-mail, raio do iphone quando mais precisamos dele gosta sp de nos desiludir! Ligámos à Mãe do Diogo que era a única pessoa que tinha os bilhetes no e-mail! Graças a todo o bem que devemos ter feito nesta ou noutra vida, a mãe do Diogo enviou-nos os bilhetes e conseguimos embarcar. mas acreditem, o processo não foi nada fácil e entrámos no avião mesmo à última! 

Recompensa por sermos boas pessoas também deve ter sido o facto de no avião nos terem oferecido um voucher de 10$ para gastar em águas e comidas de avião! Sim, era uma low cost, mas até um iPad nos emprestaram para nos entretermos durante a viagem! Enquanto o Diogo jogava aos tiros aos bonecos, a Ana dormiu quase a viagem toda. Também, 2.30horas de voo é para meninos!

Indiscritível a aproximação ao aeroporto de Queenstown, na Nova Zelândia!
O avião andava a voar entre montanhas gigantes com neve no topo (isto junto com uma turbulência jeitosa não estava a deixar a Ana super confortável). Mas sem dúvida a paisagem mais linda que vimos!
Não queríamos acreditar na quantidade de montanhas lindas com rios enormes a passar pelo meio e a rasgar planaltos de mil verdes diferentes, era um espectáculo da Natureza o que estávamos a ver! Chegámos aos Fiordes!
Deixamos aqui uma foto já no aeroporto que era rodeado destas montanhas, completamente no meio do nada num vale. A foto é meia clandestina e não mostra bem a situação porque levámos logo na cabeça por estarmos a usar telemóveis então não ficou impecável.

image.jpg

image.jpg

 Chegados a Queenstwon e deu logo para perceber que a malta da nova Zelândia são os mais simpáticos, o senhor da alfândega impecável, a senhora do controlo biológico impecável e até o chinês da loja da vodafone respondeu com um "obrigado" em português!! O Pete, o faz-tudo do hotel Millbrook (que a granda madrinha Mary S nos ofereceu para ficarmos duas noites antes de partimos na caravana), foi-nos buscar e levou-nos ao hotel!

Bem, este Hotel é literalmente no meio das montanhas, mega rústico e mega chique ao mesmo tempo, não há descrição para o bonito que é! (O duarte e o tama iam roer-se para verem isto) Ficámos a dormir numa casinha, à frente de um lago, mega rústica/luxuosa! Tem tudo o que sonhamos: cama King Size, banheira gigante, varandinha para uma vista de perder o fôlego!

image.jpg

image.jpg

 

image.jpg

 Mas acham que chegar à cama King Size foi fácil? Claro que não!!! Passámos por outro mega contratempo que achámos mesmo que não íamos resolver! E aqui a culpa foi 100% nossa que nos esquecemos de fazer o que o pai da Ana avisou! O Sr Comandante tem sempre razão! (Vamos fazer como na escola e como castigo vamos escrever esta frase 100 vezes para não nos esquecermos mais)

Então é o seguinte: quando se recebe um cartão de crédito há que activa-lo numa máquina de MB (claramente passou-nos ao lado), e depois deve-se colocar um limite de crédito útil (e não só 250€ mesmo à forretas). Os neozelandeses são mesmo porreiros e deixaram-nos ir dormir uma sesta (mas não sem antes encher a banheira de água quentinha e ficar de molho 15 a 20 min com uma pitada de sais... descrição digna de receita não é Sra Fátima Moura?) até às 8pm que são 8am em portugal quando abrem os bancos e hora em que falámos com a Carla do Activobank que nos resolveu a situação. Obrigada Carla!
Depois fomos jantar num dos restaurantes do hotel para nos irmos deitar outra vez. O céu está lindo, limpinho e cheio de estrelas.
Não se pode pedir muito mais :)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D